Não sou ‘autoridade’ no assunto, mas vou contar para vocês um caso em que a moral é: nunca desperte o interesse pela concorrência.

Num cenário de crise econômica, empreendedores buscam na fidelização um meio de manter seus clientes. Não à toa. Oferecendo algumas vantagens, é possível atingir dois objetivos: satisfação e confiança da clientela. Essa talvez seja a ‘regra de ouro’ do mercado. Não sou ‘autoridade’ no assunto, mas vou contar para vocês um caso que aconteceu comigo e que revela o outro lado dessa regra, algo para não se repetir. A moral: nunca desperte o interesse pela concorrência.

No comércio, no mercado de trabalho, na vida amorosa... não desperte o interesse pela concorrência
No comércio, no mercado de trabalho, na vida amorosa… não desperte o interesse pela concorrência

Nesse fim de semana, em uma noite de chuva, resolvi pedir um lanche em casa. Liguei para o delivery da hamburgueria que já estou acostumado a pedir, e que, além da várias lojas na São Luís, mantém um food truck perto de onde eu moro. Pela distância, o lanche sempre chega bem rápido, mas, nessa noite em questão, a atendente me informou que não seria possível fazer a entrega na minha região, por causa da chuva e de ‘alagamentos’ – argumento que, pensando depois, nem se justificava.

Quando pensei que ela me informaria que o pedido sairia da matriz da rede, e não do food truck, ela simplesmente agradeceu minha compreensão e desligou. Fiquei até sem reação, sem entender que aquilo havia realmente acontecido.

Entendo que uma unidade da rede pode ter problemas operacionais pelos mais diversos motivos; mas, naquela noite, não acredito que a rede inteira teria dificuldades para realizar uma entrega pelo delivery. A matriz da rede fica a apenas 7,2 km da minha casa; o food truck a, mais ou menos, 200 metros.

Na internet, fui em busca de outra lanchonete que disponibilizasse o serviço de delivery. Encontrei uma a 7,6 km de distância. Na mesma noite e com a mesma condição de chuva, minha segunda opção estava disponível para realizar a entrega. Fiz meu pedido; o lanche foi entregue a tempo; e posso até dizer que, em termos de sabor, não deixou nada a desejar.

Agora sei que tenho uma segunda opção, e que, com o tempo, pode virar a primeira. Fazendo um retrospecto, lembro-me que cheguei à rede do tal food truck exatamente pelo mesmo caminho: perdendo a confiança na marca e descobrindo que outra entrega igual ou melhor produto ou serviço.

Por isso, repito: nunca desperte o interesse pela concorrência. No comércio, no mercado de trabalho, na vida amorosa… em tudo. Não dê espaço para descoberta. Nunca desperte o interesse pela concorrência.

E você? Tem alguma história parecida? Perdeu a confiança em uma marca? Conte para mim nos comentários.

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário! Ele é muito importante para mim.

Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube. Receba, ainda, novidades e ofertas exclusivas por e-mail inscrevendo-se na newsletter.