segunda-feira, outubro 23, 2017
Início > Ciência > ‘Bolhas’ na Nebulosa da Tarântula captadas pelo Hubble

‘Bolhas’ na Nebulosa da Tarântula captadas pelo Hubble

‘Bolhas’ na Nebulosa da Tarântula captadas pelo Hubble

A uma distância de ‘apenas’ 160 mil anos-luz, a Grande Nuvem de Magalhães é um dos companheiros mais próximos da Via Láctea. É também o lar de uma das maiores e mais intensas regiões de formação de estrelas ativas que se conhece do nosso ‘bairro galáctico’: a Nebulosa da Tarântula.

A imagem captada pelo telescópio espacial Hubble, das agências espaciais americana (Nasa) e europeia (ESA), mostra os filamentos de gás spiderly, que inspiraram o nome da região, e uma intrigante estrutura de ‘bolhas’ empilhadas que formam a chamada nebulosa Honeycomb (na parte inferior esquerda), conhecida assim por parecer com um favo de mel.

A nebulosa Honeycomb foi descoberta por astrônomos que usam o Telescópio da Nova Tecnologia do Observatório Europeu do Sul (ESO) para observar a supernova SN1987A, a mais próxima da Terra e observada há mais de 400 anos.

A estranha forma de bolha da nebulosa desconcertou os astrônomos desde sua descoberta, no início dos anos 90: várias teorias foram propostas para explicar sua estrutura única, algumas mais exóticas do que outras.

Em 2010, um grupo de astrônomos estudou a nebulosa e, usando análises avançadas de dados e modelagem computacional, chegou à conclusão de que sua aparência única é, provavelmente, devido ao efeito combinado de duas supernovas: uma explosão mais recente percorreu o escudo em expansão do material criado por uma explosão mais antiga.

A aparência especialmente notável da nebulosa, no entanto, é graças a um ângulo de visão singular: o efeito de favo de mel das conchas circulares pode não ser visível a partir de outro ponto de vista no Universo.

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário; ele é muito importante para mim. Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube.


000000000
Maurício Araya
Jornalista graduado (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 Maranhão; e vencedor de duas etapas estaduais do Prêmio Sebrae de Jornalismo, categoria Webjornalismo
http://www.mauricioaraya.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *